Kerygma

Textos: Êxodo 20.1-17; Salmos 115.3; Mateus 5.17-20; Romanos 7.7-25; Gálatas 3.23-29

Deus governa seu universo por meio de leis. A própria natureza opera sob seu governo providencial. As assim chamadas leis da natureza descrevem meramente a meneira normal de Deus estabelecer a ordem em seu universo. Essas “leis” são expressões da sua vontade soberana.

Deus não está sujeito a nenhuma lei fora de si mesmo. Não existe nenhuma regra cósmica independente a qual Deus seja obrigado a obedecer. Pelo contrário, Deus é a sua própria. Isso significa simplesmente que ele age de acordo com seu próprio caráter moral, o qual não só é moralmente perfeito, mas também é o padrão supremo da perfeição. Suas ações são perfeitas porque sua natureza é perfeita e ele sempre age de acordo com sua natureza. Portanto, Deus nunca é arbitrário, extravagante ou caprichoso. Ele sempre faz o que é certo.

Como criaturas de Deus, também se requer de nós que façamos o que é certo. Deus exige que vivamos segundo sua lei moral, a qual ele nos revelou na Bíblia. A lei de Deus é o padrão supremo de justiça e a norma suprema para se julgar o certo e o errado. Como nosso criador soberano, Deus tem autoridade para impor obrigações sobre nós, exigir nossa obediência e obrigar nossa consciência. Deus também tem o poder e o direito de punir a desobediência quando violamos sua lei.

Algumas leis na Bíblia são baseadas diretamente no caráter de Deus. Tais leis refletem os elementos transculturais e permanentes das relações divinas e humanas. Outras leis foram planejadas de acordo com condições temporárias da sociedade. Isso significa que algumas leis são absolutas e eternas, enquanto que outras podem ser anuladas por Deus por razões históricas, tais como as leis alimentares e cerimoniais de Israel. Somente o próprio Deus pode revogar tais leis. Os seres humanos em hipótese alguma têm a autoridade para anular as leis de Deus.

Não somos autônomos. Não podemos viver de acordo com nossas próprias leis. A condição moral da humanidade é de heteronomia: vivermos sujeitos à lei de outrem. A forma específica da heteronomia sob a qual vivemos é a teonomia, ou seja, a lei de Deus.

Esboço:
  1. Deus governa o universo por meio de leis.
  2. Deus tem a autoridade para impor obrigações sobre suas criaturas.
  3. Deus age de acordo com a lei do seu próprio caráter.
  4. Deus revela sua lei moral à nossa consciência e nas Escrituras.
  5. Somente Deus tem a autoridade para revogar suas leis.

publicado por: Pr. Alexandre R. de Souza

Bibliografia: Verdades Essenciais da Fé Cristã de R. C. Sproul/ Editora Cultura Cristã

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Sobre o Blog

"O propósito desta página é ajudar àqueles que amam a Deus e Sua Palavra, auxiliando todos os que estão envolvidos direto ou indiretamente em atividades ministeriais"

Pr. Alexandre Rodrigues

Calendário

Janeiro 2009
S T Q Q S S D
    Fev »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Para refletir

"A distinção entre as ações virtuosas e pecaminosas foi gravada pelo Senhor no coração de todos os homens". João Calvino

Nuvens de Tag´s

Top 10

  • Nenhum

Arquivos

RSS Kerygma – Anunciando o Evangelho de Cristo

Anúncios
%d bloggers like this: