Kerygma

Archive for the ‘Esboço’ Category

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16)



Introdução:

Todos nós como seres humanos, somos cercados de necessidades: comer, beber, respirar, etc. E espiritualmente não é diferente!

Jesus Cristo viveu entre os homens, fez o bem, sofreu, padeceu, foi crucificado, morreu, mas a sua história não parou por aí. Ele está vivo! Pois ressuscitou! Venceu a morte e está à destra de Deus e também aqui para salvar.



Transição:

Por isso quero falar sobre três necessidades básicas para que alguém seja salvo…



I. ARREPENDER-SE DOS SEUS PECADOS

Todos nós somos pecadores (“ pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”Romanos 3:23);

Todos nós precisamos de arrependimento;



II. COLOCAR A FÉ EM JESUS CRISTO

A fé não deve ser colocada em coisas, religião, obras, sentimentos, pessoas, méritos próprios, etc., mas em Cristo;

Jesus levou na cruz os nossos pecados – (Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele “Isaías 53.5”).

Ele é o único que pode nos salvar – (I Timóteo 2:5).



III. ENTREGAR A VIDA A JESUS CRISTO (JOÃO 1:12)

É Deus quem nos dá a salvação inteiramente de GRAÇA;

Foi por amor que o Filho de Deus se entregou;

Somos salvos pela bondade e misericórdia de Deus, sem qualquer mérito de nossa parte (Efésios 2:8-9 e Tito 3:4-5).





CONCLUSÃO:





O homem precisa, diante da oferta de Deus, reconhecer que sem Jesus está perdido, desejar mudar de vida, arrepender-se dos seus pecados e, pela fé, entregar totalmente a sua vida a Jesus Cristo.



Publicado por: Pr. Alexandre R. de Souza

I. Leis sobre o sacrifício (1-7)
A. Instruções para os leigos (1.1-6.7)
1. A oferta queimada (1)
2. A oferta de cereais (2)
3. O sacrifício pacífico(3)
4. A oferta pelo pecado (4.1-5.13)
5. A oferta pela culpa (5.14-6.7)
B. Instruções para os sacerdotes (6.8-7.38)
1. A oferta queimada (6.8-13)
2. A oferta de cereais (6.14-23)
3. A oferta pelo pecado (6.24-30)
4. A oferta pela culpa (7.1-10)
5. O sacrifício pacífico (7.11-36)
6. Sumário (7.37-38)

II. A instituição do sacerdócio (8-10)

A. A consagração de Arão e seus filhos (8)
B. Os primeiros sacrifícios de Arão (9)
C. O julgamento dos filhos de Arão (10)

III. A impureza e o seu tratamento (11-16)

A. Animais impuros (11)
B. Nascimento de uma criança (12)
C. Doenças da pele (13-14)
D. Os fluxos do corpo (15)
E. O Dia da Expiação (16)

IV. A prática da santidade (17-27)

A. Sacrifício e alimento (17)
B. A conduta sexual (18)
C. Princípios de bom relacionamento com o próximo (19)
D. Crimes sujeitos à pena capital (20)
E. Impedimentos dos sacerdotes (21)
F. Regras e respeito dos sacrifícios (22)
G. Festas religiosas (23)
H. As lâmpadas e os pães do tabernáculo (24.1-9)
I. A blasfêmia (24.10-23)
J. Os anos de descanso (25)
L. A bênção e a maldição (26)
M. Regras a respeito dos votos e dos dízimos (27)

Bibliografia: Bíblia de Genebra


I. Deus liberta o seu povo: o êxodo (1.1-15.21)
A. Deus lembra-se com fidelidade de Israel (1-2)
B. Deus chama Moisés para libertar Israel (3.1-4.26)
C. O Faraó rejeita a exigência de Deus (4.27-7.13)
D. O julgamento de Deus contra o Egito (7.14-10.29)
E. Deus livra Israel do Egito (11.1-13.16)
F. Deus salva Israel no mar Vermelho (13.17-15.21)
II. Deus guia o seu povo: a provação no deserto (15.22-18.27)
A. De Mara até Elim: Deus traz cura (15.22-27)
B. Deserto de Sim: Deus provê alimento (16)
C. Refidim: Deus provê água (17.1-7)
D. Refidim: Deus provê proteção (17.8-16)
E. A montanha de Deus: Deus provê organização (18)
III. Deus e Israel fazem aliança (19-24)
A. Os preparativos para a aliança (19)
B. Deus proclama a aliança (20-23)
C. Israel ratifica a aliança (24)
IV. Deus revela o modelo do tabernáculo e seu ministério (25-31)
A. O tabernáculo, os átrios e os utensílios (25-27)
B. O ministério sacerdotal (28-30)
C. Artesãos para a construção do tabernáculo (31.1-11)
D. O sinal da aliança e as tábuas (31.12-18)
V. Rebelião, julgamento e restauração de Israel (32.1-34.35)
A. Culto idólatra de Israel (32.1-6)
B. Israel é punido por idolatria (32.7-29)
C. Deus ameaça retirar a sua presença de Israel (32.30-34.9)
D. Deus renova a sua aliança (34.10-35)
VI. Os artesãos de Israel preparam o tabernáculo (35-39)
A. Israel é admoestado a lembrar o sábado (35.1-3)
B. Ofertas voluntárias para o tabernáculo (35.4-29)
C. Artífices são chamados para iniciar a obra (35.30-36.17)
D. As cortinas, as tábuas e o véu são feitos (36.8-38)
E. Os utensílios são confeccionados (37.1-38.8)
F. Faz-se o átrio da congregação (38.9-20)
G. Sumário: relatório do tesoureiro (38.21-31)
H. As vestes sacerdotais são tecidas (39.1-31)
I. A obra é concluída (39.32-43)
VII. Os artesãos de Israel levantam o tabernáculo (40)
A. Instruções para levantar o tabernáculo (40.1-16)
B. Moisés supervisiona a montagem do tabernáculo (40.17-33)
C. A glória de Deus enche o tabernáculo (40.34-38)

Bibliografia: Bíblia de Genebra

1. TODOS ESTAMOS AFASTADOS DE DEUS POR CAUSA DO PECADO

1.1. Isaías 59.1-15
1.2.Romanos 3.9-20; 5.12-21; 7.14-25
1.3. Eclesiastes 7.20

2. DEUS SEMPRE BUSCOU UM RELACIONAMENTO MAIS PRÓXIMO COM A HUMANIDADE

2.1. Êxodo 19.3b-8
2.2. Jeremias 31.31-34
2.3. Isaías 54.1-10
2.4. 1 Pedro 1.1-10
2.5. 1 João 3.1-10

3. DEUS PESSOALMENTE FEZ CONTATO CONOSCO AO ENVIAR SEU FILHO JESUS CRISTO

3.1. Colossenses 1.15-23
3.2. Romanos 5.1-11
3.3. 1 Pedro 2.9-25
3.4. João 3.1-21
3.4. 2 Timóteo 1.3-14
3.5. Efésios 2.1-10

4. O PERDÃO DE DEUS, ATRAVÉS DE SEU FILHO JESUS CRISTO, ESTÁ AO ALCANCE DE TODOS

4.1. Salmo 51.1-17
4.2. 1 João 1.5-10
4.3. Salmo 32
4.4. Romanos 3.21-26; 8.31-39; 10.5-15

5. VIVEMOS A NOVA VIDA EM CRISTO QUANDO VIVEMOS COMO ELE VIVEU

5.1. Romanos 6.1-14; 12.1-21
5.2. Mateus 20.20-28
5.3. Efésios 4.17-32
5.4. Gálatas 5.16-26
5.5. 1 João 4.7-21

Publicado por: Pr.Alexandre R. de Souza


I. Prólogo: Criação dos céus e da terra (1.1-2.3)
II. O relato dos céus e da terra (2.4-4.26)
A. Adão e Eva sob teste no paraíso (2.4-25)
B. A queda e suas consequências (cap.3)
C. A escalada do pecado na linhagem de Caim (4.1-24)
D. Um remanescente piedoso (4.25-26)

III. O relato de Adão (5.1-6.8)
A. Sete e a linhagem da aliança (cap.5)
B. A escalada do pecado antes do dilúvio (6.1-8)

IV. O relato de Noé (6.9-9.29)
A. Preparo para o dilúvio (6.9-7.10)
B. Dilúvio e salvação (7.11-8.19)
C. Aliança de Deus para não destruir a terra (8.20-9.17)
D. Profecias relativas aos filhos de Noé (9.18-29)

V. O relato de Sem, Cam e Jafé (10.1-11.9)
A. Quadro das nações (cap. 10)
B. Escalada do mal na Babilônia (11.1-9)

VI. O relato de Sem (11.10-26)
VII. O relato de Terá (11.27-25.11)
A. Genealogia (11.27-32)
B. A aliança abraâmica: sua terra e povo (12.1-22.19)
1. Migração para a Terra Prometida (12.1-22.19)
2. Livramento do Egito (12.10-20)
3. Ló é separado da terra (cap. 13)
4. Vitória sobre os Reis orientais (cap. 14)
5. A aliança de Deus é ratificada (cap. 15)
6. Agar e Ismael são rejeitados (cap. 16)
7. A aliança de Deus é confirmada (cap. 17)
8. O filho de Sara é anunciado (18.1-15)
9. Ló é resgatado de Sodoma (18.16-19.38)
10. Proteção dos filisteus (cap. 20)
11. Nascimento de Isaque e bênção na terra (cap. 21)
12. Juramento de Deus de abençoar o mundo através da descendência de Abraão (22.1-19)

C. A transição para Isaque (22.20-25.11)
1. Família de Rebeca (22.20-24)
2. Morte de Sara (cap. 23)
3. Casamento de Isaque com Rebeca (cap. 24)
4. Isaque como único herdeiro (25.1-6)
5. Morte de Abraão (25.7-11)

VIII. O relato de Ismael (25.12-18)
IX. O relato de Isaque (25.19-35.29)
A. Rivalidade na família (25.19-34)
B. Bênção da aliança sobre Isaque (cap. 26)
C. Jacó rouba a bênção de Esaú (27.1-40)
D. Bênção da aliança sobre Jacó e o seu exílio (27.41-32.32)
1. Jacó enviado a Labão (27.41-28.9)
2. O encontro com o anjo em Betel (28.10-22)
3. Conflito com Labão (29.1-30)
4. Nascimento dos pais das doze tribos (29.31-30.24)
5. Jacó prospera e foge de Labão (30.25-31.55)
6. O encontro com anjos em Maanaim e Peniel (cap. 32)
E. Reconciliação de Esaú com Jacó (33.1-17)
F. Transição para Jacó: itinerário e mortes desde Siquém até Manre (33.18-35.29)

X. O relato de Esaú (36.1-37.1)
XI. O relato de Jacó (37.2-50.26)
A. José e o sonho de governo (37.2-11)
B. Os pecados da família de Jacó (37.12-38.30)
C. A ascensão de José ao governo sobre o Egito (caps. 39-41)
D. O ardil de José e a reconciliação da família da aliança (caps. 39-41)
E. Tramsição. para o Êxodo (caps. 56-50)
1. Migração para o Egito (caps. 46.1-27)
2 Preservação em Gósem (46.47.31)
3. Bênção de Jacó sobre as doze tribos (48.1-50.14)
4. A morte de Jacó e o sepultamento em Canaã (49.29-50.14)
5. A morte de José no Egito com a promessa de Canaã (50.15-26)

Publicado por: Pr. Alexandre R. de Souza
Bibliografia: Bíblia de Genebra


Sobre o Blog

"O propósito desta página é ajudar àqueles que amam a Deus e Sua Palavra, auxiliando todos os que estão envolvidos direto ou indiretamente em atividades ministeriais"

Pr. Alexandre Rodrigues

Calendário

Agosto 2017
S T Q Q S S D
« Jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Para refletir

"A distinção entre as ações virtuosas e pecaminosas foi gravada pelo Senhor no coração de todos os homens". João Calvino

Nuvens de Tag´s

Arquivos

RSS Kerygma – Anunciando o Evangelho de Cristo